10.5.09

Un piorno singular

Piorno no Naval

Dos piornos que se conservan na Arousa, este que hai no Naval e que hoxe pertence ao patrimonio público, é un dos máis singulares. A construción difire da estrutura tradicional do hórreo, xa que carece de pés e de mós (as pedras circulares que unen a base do piorno con candanseu pé) . Pode ser que o peche do perímetro do piorno se fixese con posterioridade á edificación primixenia para converter o espazo nun alpendre, pero de ser así, por que non mantivo os pedestais?

9 comentarios :

José Luís do Pico Orjais dixo

Que formosa fotografia. Muitos piornos não levam pés direitos ou cepas, senão que foram feitos sobre o que se denomina cerrado e que normalmente serviam para despensa (p. ex. secado de presuntos) ou guardar aperos, o mais monumental de todos o do Aranho. Acho que na Arousa este tipo podia ter um fim misto, o de graneira, na parte de acima, e marinheira, na de abaixo, fundamentalmente guardar redes ou nassas. Tenho lido algo sobre esta função mista, mas não lembro a referência. Existe algum outro piorno destas caraterísticas na Arousa? Estou a pensar no que há/havia no alto da Torre, onde estivo o solar da torre que dá nome ao bairro. Acho que tinha também um cerrado, mas não posso assegurar.
O que sim semelha destacável é a robustez dos materiais empregados para o cerrado, claramente reutilizados duma construção anterior.
Com respeito ao nome piorno, um termo acho que unicamente da nossa Ria, proponho uma etimologia acientífica. Normalmente disse que piorno vem do nome da planta,cytisus scoparius, ou giesta das vassouras. No Salnês não creio que piorno fosse nunca sinónimo de giesta, nem que a sua madeira se usasse na fabricação dos espigueiros. Assim que ai vai a minha proposta:
O termo viria das palavras latinas pio+horno. Hornus, a, um. seria um adjetivo associado a Hornotinus, é dizer, aquilo que se produz num ano. Pio, de Pius, faz referência a algo puro, que não está contaminado, que é sagrado. Portanto o piorno seria o lugar onde se mantém pura, protegida, a colheita do ano.
Já digo que a minha proposta não tem muito de científica, mas bem é intuitiva, mas haveria que assinalar outras palavras do léxico arousão com certo tufo a latinismo fossilizado. É o caso de carolada, relacionada com choreus, chorus (coro) e a charolla (gente a cantar) da que fala Michaelis de Vasconcellos, ou libório, o entroido arousão, de liber ou quiçá liberio.

dárousa dixo

http://mercadodehorreos.blogspot.com/2009/04/piorno-de-tres-claros-en-ruinas-na-rua.html


en este blog aparecen fotos de moitos piornos que hai na arousa, visitadeo porque e moi curioso, ademais ten fotos de un piorno de madeira que e increible.

saudos

José Luís do Pico Orjais dixo

Obrigado pela informação e fantástica a página. Como lembrava o piorno do Alto da Torre também tém cerrado.

Anónimo dixo

pois si pepe, viviches moitos anos o caron del , non sei se fai moito tempo que non pasas por ahi, pero fixeron un edificio no alto da torre e volverono a montar, eu creo que e o mais grande que hai na illa

nailla dixo

Parabéns ao autor do blog dos piornos. Bo traballo!

José Luís, paréceme interesante a túa teoría da orixe da palabra piorno, quédome con ela. Eu ando ás voltas con outra palabra relacionada cos piornos. Eu sempre escoitín falar da "mó" do piorno, a pedra circular ou moa. Levei unha decepción ao comprobar que o dicionario de galego non a recolle (como tantas outras, por desgraza). Así que a busquei no dicionario da lingua portuguesa de Porto Editora, e alí si aparece.

Como ben dis, o léxico arousán conta con máis palabras dignas de análise. O tema ben merece un "post" especial, xa o estou preparando!

McMill dixo

Un apontamento: piornos non se di tamén na zona oriental? Piornedo hai algún, onde hai bastantes...

O dixo

Os hórreos mais simples, talvez os primeiros hórreos, som feitos de varas trançadas. Estas varas dam nome ao celeiro, ao hórreo, e dam nome ao vegetal.
Piorno tem de ser umha palavra velha, pois está espalhada pola península.
Há confusom entre gestas e piornos pois os nomes variam para diferentes espécies de Genistas ou de Cytisus. O nome de piorno mais espalhado é para a Genista.
Umha etimologia para este nome da Genista propom que poderia estar emparentada co viburnum, um arbusto escasso na Galiza, que também serve para fazer cestos, que derivaria do latim vinc- com parentes no vímbio.
Outra orige poderia estar na palavra orno,sem agá, mas referida ao ornato, a flor do piorno usa-se para enfeitar as casas polo Sam Joam. Entom temos que é umha planta pia que orna. Variantes de piorno som pidorno e priorno. E ressaltar que o espigueiro entre muitos dos nomes que tem um deles é orno.

Anónimo dixo

É loxico que no diccionario galego non encontremos moitos vocablos das diferentes zonas de galiza.Actualmente, quén fala galego, o goberno que temos?.Tamén é loxico que encontremos no diccionario portugués o que nos non encontramos:eles teñenlle cariño a lingua, teñen un Estado que se preocupa, igual que o sr.núñez feijoo.
En certas zonas de Lugo, chámanlle horro, e cubren a parte darriba con un arbusto que lle chaman beo, ou beón.Eu non encontrei no diccionario a palabra horro, pero sí a de piorno e referida a certa planta. Bo traballo estades a facer, a ver si con ánimo de todos se recolle unha boa colección pra imprimir. Saude a todos/das.

Saude é a que nos fai falta para vos aturar dixo

¡Viva Galicia Bilingüe!

E ti que dis?

A responsabilidade dos comentarios é unicamente de quen os escribe. A dirección eliminará os comentarios que estime conveniente. As peticións para borrar comentarios non serán atendidas. A participación implica a aceptación destas condicións.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...